Pular para o conteúdo principal

TOMANDO POSSE DA BÊNÇÃO? SERÁ MESMO?


A intenção deste texto não é “falar mal” do que quer que seja - devemos sempre ser criteriosos, porém, quanto ao criticismo, é algo que devemos nos afastar, pois faz mal à saúde da alma. O que desejo é propor uma reflexão para não abrirmos mão de nossas convicções.

A expressão “tomar posse da bênção” penetrou o meio evangélico, em boa parte, numa alusão à posse da terra prometida por Deus aos hebreus. Então, tudo tornou-se “apossar-se da bênção”. Este termo veio do evangelismo através da televisão e de livros evangélicos. Porém... a pregação do Evangelho na TV, desligada de uma vida em comunidade, de um dia a dia entre cristãos, tem distorcido alguns valores para a vida e experiência de fé. 

Você até pode começar na fé ouvindo um programa de televisão; porém, depois, somente uma igreja local, física, uma comunidade de pessoas que creem, com um estudo sério da Bíblia em sua programação, e a busca pela ação do Espírito Santo, pode lhe proporcionar a continuidade da vida cristã como Deus a planejou.

“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima” (Hb 10.25).

Somente juntos e na vida real superamos desafios, e eles serão muitos, então, alguns, preferem fugir para a vida do culto na TV, onde só tem música, sorriso e... vitória imediata. Caimos, assim, no erro de achar que cada problema que passamos será resolvido num culto da TV, que nos apresenta sempre um testemunho imediato de solução. Bom seria se numa oração tudo fosse resolvido! Mas não vemos, na Bíblia, Deus agindo assim todas as vezes, porque muitas delas Ele tem outros propósitos além de abençoar e isso demanda mais tempo do que um programa televisivo. 

Vamos entender que Deus atende nossas emergências, mas vamos encarar que a vida não é só emergência. E para que não seja, precisamos plantar e colher - exatamente como Deus orientou os israelitas depois que eles tomaram posse da bênção. 

Leandro Hüttl Dias

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A experiência de continuar sendo salvo

Convido você a assistir este vídeo onde exponho a mensagem bíblica: "A experiência de continuar sendo salvo".



Gostou do vídeo? Compartilhe no Facebook, no Twitter e nas demais plataformas usando a ferramenta abaixo. Sugira novos temas. Deixe seu comentário abaixo.

FORMATURA CASADOS PARA SEMPRE - Turma IBMA 2012 / 1º Semestre

O Curso "Casados para sempre" tem alcançado pessoas ao redor do mundo todo com uma visão bíblica sobre casamento.
No dia 03 de junho de 2012 tivemos a formatura da primeira turma da Igreja Batista Maysa I, pela graça e bençãos de Deus.

A formatura aconteceu no culto de domingo a noite, e o pastor nos repassou a direção do mesmo, assim fizemos um culto das famílias para Deus. O Senhor nos abençoou com uma Palavra edificante e profunda, confirmando cada vez a suficiência da Bíblia em fornecer toda a direção necessária para a vida humana, sobretudo familiar, por meio da fé em Jesus Cristo, com a ação do Espírito Santo, pela graça de Deus.

Os casais tiveram o momento de testemunhar e cada cônjuge falou aquilo que Deus fez nas suas vidas, o que começou e está continuando. Falaram das aulas que mais gostaram e incentivaram, de livre vontade, os presentes a fazerem o Casados para Sempre. Todos os testemunhos, sem exceção, foram sinceros e demonstraram aquilo que Deus operou por mei…

GRANDES projetos, mas sem DEUS (Julio Oliveira Sanches)

Na vida diária temos muitos detalhes que fazem a diferença para os sucessos que desejamos (no sentido de objetivos serem atingidos). Escrevendo para O Jornal Batista (Ano CXIII, Edição 10), o pastor Julio Oliveira Sanches comentou acerca de grandes projetos que essa era tem feito, mas excluindo Deus, e, portanto, as consequencias colhidas. Preste muita atenção nas suas colocações, pois foi exatamente o que me fez escolher este artigo para a semana. Os destaques são meus. Confira na íntegra abaixo:

Faz parte da natureza corrompida pelo pecado "sonhar” grandes projetos para Deus, mas sem respaldo da aprovação divina. Uma tentativa de comprar os favores divinos e compensar os pecados não confessados e não perdoados. Deus não é consultado, tampouco participa da elaboração e execução das megalomanias humanas. O nome de Deus é citado como fetiche aprovador das maluquices humanas. Cabe a Deus dar a aprovação final com suas bênçãos para que o sucesso alimente os egos desequilibrados dos q…