Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

DE MANEIRA DIFERENTE - Feliz Ano-Novo!

Em seu livro "Plantando Igrejas Contextualizadas", Charles Brock diz o seguinte: “Os métodos mudam com frequência, mas os princípios nunca mudam”. Partindo deste princípio quero propor a você, nesta virada de ano, uma abordagem diferente acerca dos “planos para o Ano-Novo”. Não faça “listas de coisas para o ano”, mas reveja o que está sempre no seu coração, aquilo que você deseja alcançar, porque sabe que estão dentro da vontade de Deus (através da oração, da Palavra e da orientação do Espírito Santo). Depois, pense o motivo delas não terem sido realizadas. Se a questão é que não estão no tempo de Deus, tudo bem, espere - porém, se a questão não for tempo, TENTE A MESMA COISA, DE MANEIRA DIFERENTE. Mantenha os princípios, aquilo que Deus tem trabalhado em seu coração, porém... esteja aberto(a) a novos métodos: isso para sua vida espiritual, pessoal, familiar e seu ministério na Igreja. A Palavra de Deus diz: "Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as ant…

Teololatria: os adoradores de suas teologias

Quando vejo os homens adorando e idolatrando as suas teologias, lembro da passagem de Daniel 5.4, onde os ímpios bebiam vinho nas taças tiradas do Templo do Senhor, louvando aos "deuses" de ouro, prata, bronze, ferro, madeira e pedras - todos materiais perecíveis, desde o que consideramos mais nobre ao mais comum. Usavam coisas de Deus, porém para fins humanos, egocêntricos e institucionais.
É uma idolatria quando vemos pessoas SEMPRE dizendo "a nossa teologia é mais bíblica, a melhor, a mais correta, a melhor para instruir nisso ou naquilo".
Olho pasmado para a adoração aos textos antigos escritos por grandes teólogos, mas que desejavam era a glória de Deus e a edificação da Igreja e hoje há pregadores e pastores com taças de vinho nas mãos, embevecidos, idolatrando seus "deuses", i.e, suas teologias - "as melhores, as mais bíblicas, as corretas, as mais importantes, as ortodoxas". As outras são: "heresias, desvios de doutrina, paganismo;…

O que estão fazendo com o evangelismo?

“Fiz-me fraco para com os fracos, com o fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns”. - 1Co 9.22 Usando esse texto como pretexto, muitas pessoas têm feito, sob o nome de “Evangelismo”, uma verdadeira confusão na igreja. Começam a balisar as ações evangelísticas conforme a moda ditada pelo mundo. Compreendo que podemos fazer contextualização, porém, o que se têm feito é dar uma fantasia gospel a certos modismos, talvez para “cristianizar” o assunto. Exemplifico: Quando a música de Michel Teló saiu nas rádios, TV e internet (“Ai, se eu te pego”), logo apareceu um vídeo com uma música gospel cujo refrão era “Pai, eu te quero”. Ora, fico pensando... será que quem ouve Teló será alcançado por uma versão com “vocabulário crente” do ritmo? Sinceramente... às vezes acho que isso é mais uma tentativa de se parecer com o mundo (mas com um rótulo gospel) e não precisar encarar a transformação e o ser diferente (Rm 12.2). Que ensino tem sid…

Relacionamento com Deus

A despeito do movimento "politicamente correto" onde todo mundo diz que se entende com Deus, que tem as suas conversas com Ele, que O ama e etc, a Bíblia nos exorta o seguinte: "Mas as suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá” - Is 59:2 NVI. O pecado afeta o relacionamento com Deus.  Muita gente crê no “deus na Xuxa”, "o cara lá de cima", legalzão, que basta eu ser carismático e comunicativo com ele para, então, ele me aceitar assim do jeito que eu sou, afinal, ele me entende e eu sou bonzinho em outros aspectos da vida. Ou seja, acham que Deus é um ser humano, que aceita o pecado dos seus iguais se a pessoa for legal, "faixa", camarada, parceiro... Mas se esquecem de que Deus é Santo (1Pe 1.16)! É bem verdade que Deus recebe as pessoas do jeitinho que elas estão, seja qual for o pecado; Deus as aceita e acolhe, porém Ele faz isso com o objetivo de purificá-la, logo depo…

Qual é o bem da vida?

As revistas, a televisão e os palestrantes nos dizem que o ideal da vida é usar nosso potencial ao máximo, produzindo, gerenciando projetos e equipes.

O problema é que quando deixamos a revista em cima da mesa, desligamos a TV ou saímos das palestras, deparamo-nos com a vida real, que traz seus conflitos, seus desafios, seus problemas (Jesus disse: "mundo tereis aflições" Jo 3.16). Além disso, encontramos necessidades não previstas no enredo na novela, no ideal das revistas e às vezes nas fantasias dos palestrantes: uma família para ser cuidada, necessidades emocionais para atender e esperando para serem atendidas, e o principal: Deus e Sua Palavra para ser seguida como modelo de vida (que é o oposto dos conteúdos da TV, revistas e palestras).

Isso gera um problema: quando comparamos nossa vida real com o conteúdo marqueteiro que recebemos podemos ficar frustrados. Então, de alguma maneira, o formato que foi programado em nossas mentes não se cumpre e podemos pensar: "…