Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2013

A Reforma da Igreja - Parte I

Por Franklin Ferreira


A época em que os reformadores viveram foi de grande inquietação. Foi o tempo do descobrimento das Américas; imperadores, reis, generais e papas lutavam entre si, para tentar moldar a Europa moderna; a Igreja Católica detinha a supremacia espiritual, cultural e política, e as tentativas de reforma, como as de John Wycliffe (1328-1384) e Jan Huss (1373-1415) foram esmagadas. Surgiram gênios como Erasmo, Miguelângelo, Da Vinci, Rafael, Colombo, Copérnico. Mas o fim da Idade Média foi marcado por uma inquietação profunda com a morte, culpa e perda de sentido. A teologia de Lutero, Zuínglio, Calvino e dos demais reformadores foi uma resposta específica às ansiedades desta época. O estudo da Reforma é divido em duas partes: a "reforma magistral" (que aconteceu com o apoio do Estado) e a "reforma radical" (que aconteceu sem o apoio do Estado, e muitas vezes, perseguido por este).
1. A "reforma magistral"
a) Martinho Lutero Nasceu em 10 de nov…

A Reforma da Igreja - Parte II

Por Franklin Ferreira


Se ainda não leu a primeira parte, clique neste link.
2. A "reforma radical" Houve quatro tipos de anabatistas: os racionalistas, que enfatizavam a razão (rejeitando doutrinas como a Trindade, as doutrinas ortodoxas da pessoa de Cristo, salvação pela graça etc.), escatológicos e espiritualistas, que enfatizavam uma iluminação espiritual mais importante que as Escrituras (liderados por João Matthys e João de Leyden, que estiveram envolvidos em uma sucessão de acontecimentos desastrosos, os quais culminaram na destruição da cidade de Münster, na Alemanha, de 1532 a 1536) e os evangélicos, que enfatizavam a autoridade das Escrituras e o discipulado (os menonitas são os herdeiros diretos deste grupo).
Em 1523, os anabatistas começaram a se opor a Ulrich Zuínglio, por causa do batismo infantil, que era praticado por ele. Em 1525, Conrado Grebel e Jorge Blaurock foram rebatizados em Zurique. A principal ênfase do movimento anabatista era ter uma igreja só de re…

Quem Eram Os Anabatistas?

Por João Oliveira Ramos Neto
A Reforma Protestante, no século XVI, teve quatro correntes principais. A primeira foi sistematizada por Martinho Lutero, na Universidade de Wittenberg, na Alemanha. Seus seguidores foram chamados de luteranos e criam que, ao contrário do que era então pregado pela Igreja Católica, as pessoas somente seriam salvas do pecado pela fé, e não pelas obras. A segunda corrente foi sistematizada por João Calvino em Genebra, Ulrico Zwínglio em Zurique e John Knok na Escócia. Seus seguidores receberam inicialmente o nome de reformados, e mais tarde ficaram conhecidos como presbiterianos. A terceira corrente é a reforma inglesa, pois teve início em 1534, quando o rei Henrique VIII rompeu com Roma e deu início à Igreja Anglicana. O quarto movimento foi chamado de Reforma Radical.
A Reforma Radical era composta por líderes cujas ideias pretendiam modificar substancialmente a Cristandade. Essa corrente, por sua vez, se subdivide em três grupos: Os racionalistas, como Ka…

Os Puritanos

Por João Oliveira Ramos Neto
Em 1534, na Inglaterra, o rei Henrique VIII promulgou um documento que foi chamado de Ato de Supremacia. Com isso, os ingleses romperam definitivamente com a Igreja Católica. Começava a Igreja Anglicana. Porém, foi no reinado da sua filha, Elizabeth I, que a nova doutrina foi estabelecida definitivamente. O que ela fez? É que, no período do reinado dela, a Inglaterra estava dividida. Uma parte da população queria continuar católica, enquanto outra parte queria adotar as novas ideias da Reforma Protestante. Então ela teve uma ideia brilhante! Ela fez com que a Igreja Anglicana ficasse em cima do muro. Ela manteve a liturgia católica para que o povo que queria continuar católico não visse nenhuma diferença quando fosse ao culto domingo. E ela adotou uma teologia protestante, para que a burguesia e outros membros da elite ficassem satisfeitos com as mudanças. Com isso, Elizabeth I conseguiu agradar uma grande parte da população e estabilizar seu reinado.
O pr…

Os Cristãos Antes Dos Batistas

Por João Oliveira Ramos Neto
Os batistas surgiram aproximadamente um milênio e meio depois dos primeiros cristãos. Por isso, para estudarmos a nossa história, precisamos saber o que aconteceu entre o término da narrativa do livro de Atos e o século XVII. Para isso, a seguir, apresentaremos um breve esboço dos principais eventos.

A Igreja Primitiva foi severamente perseguida pelos romanos e muitos cristãos morreram nos dois primeiros séculos. A situação mudou quando Constantino tornou-se imperador no ano 306 e converteu-se ao cristianismo em 312, depois de ter tido um sonho na véspera de uma importante batalha. Três ações suas foram fundamentais para definir o que mais tarde se tornaria a Igreja Católica. A primeira foi a promulgação do Edito de Milão em 313, colocando fim às perseguições aos cristãos. A segunda foi a convocação do Concílio de Niceia em 325, que deu origem ao primeiro credo doutrinário. A terceira foi transformar antigos templos pagãos em templos cristãos. A igreja ins…

O Surgimento Dos Batistas

Por João Oliveira Ramos Neto
Do primeiro ao décimo quinto século da nossa era, os cristãos viveram diferentes práticas de sua fé. A Igreja teve início logo após a descida do Espírito Santo, conforme narrado em Atos 2. Quatro séculos depois ela estava institucionalizada. Então houve um período chamado de Idade Média, cujo papa, de Roma, mandava em toda cristandade que compunha o território europeu. Nesse período, à medida que as práticas da Igreja se afastavam da Bíblia, muitos cristãos tentataram fazer modificações, mas não conseguiram, e foram vítimas da inquisição. Porém, tudo mudou no século XVI, com a Reforma Protestante.
Logo no começo do século XVI a Igreja Católica intensificou a prática das indulgências. A ideia dessa prática era vender a salvação da alma. Como assim? Vamos explicar! É que eles pregavam que alguns santos do passado praticaram tantas boas obras que criaram um tesouro excedente, que podia ser administrado pelo papa. Então, esse tesouro era colocado à venda. Com …

Os batistas e o grande despertamento

Por João Oliveira Ramos Neto
O chamado grande despertamento foi um período de grande avivamento espiritual entre o povo anglo-saxão, isto é, os Estados Unidos e o Reino Unido. Chamamos de despertamento, ou avivamento, uma restauração do fevor dos cristãos após um período de apatia espiritual. Nos séculos XVIII e XIX, muitos pregadores inflamados causaram grande comoção entre as pessoas daqueles países, ao ponto de mudarem o pensamento de grande parte da população. Afinal um avivamento caracteriza-se pelo grande número de conversão de pessoas que refletem direta e objetivamente na sociedade, principalmente nas questões sociais. O primeiro momento ocorreu entre os anos de 1730 a 1755. O segundo momento ocorreu entre 1790 e 1840.
O primeiro movimento teve início com um pregador puritano chamado Jonathan Edwards (1703-1758). Ele era pastor de uma igreja congregacional em Massachusetts, na época em que os Estados Unidos ainda eram colônia da Inglaterra. Seu sermão mais famoso foi "Pec…

Batistas proeminentes na História

Por João Oliveira Ramos Neto

Ao longo da história dos batistas, muitos nomes se destacaram por sua atuação. Alguns foram esquecidos pela historiografia e corrigir completamente tal injustiça é uma tarefa impossível. Da mesma forma, seria impossível apresentarmos todos de uma só vez. Assim, de forma didática, destacaremos três líderes que marcaram o século em que viveram. William Carey, no século XVIII, Charles Spurgeon, no século XIX, e Martin Luther King Jr. no século XX.
William Carey William Carey nasceu em 1761, na Inglaterra. Seu pai era um tecelão que trabalhava em casa. Aos 16 anos iniciou sua carreira como aprendiz de sapateiro. Carey ficou nessa profissão até os 28 anos. Ele converteu-se aos 18 anos e ingressou na Igreja Batista. Com dezenove anos, William Carey se casou com Dorothy, cunhada de seu patrão. Em 1785, Carey recebeu o convite para ser pastor de tempo parcial (continuou trabalhando como sapateiro) em uma pequena comunidade batista da Inglaterra. Mais tarde, foi cha…

Você quer seguir o papa ou a Bíblia?

Num confronto claro contra as Escrituras, o site G1 noticia:

"Papa reza missa em Aparecida... Antes, pontífice venerou imagem da Virgem".

O Dicionário assim define venerar: "Sentir ou demonstrar adoração por; cultuar"


Entretanto...

A Bíblia Sagrada ensina:

"Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto". EX 20:4-5a

A Palavra de Deus é nítida ao dizer que devemos guardar nossa alma dessa corrupção, nada de imagem em forma de homem ou mulher:

"Guardai, pois, cuidadosamente, a vossa alma, pois aparência nenhuma vistes no dia em que o SENHOR, vosso Deus, vos falou em Horebe, no meio do fogo; para que não vos corrompais e vos façais alguma imagem esculpida na forma de ídolo, semelhança de homem ou de mulher" DT 4:15-16

Há mais o que ser dito...
Leandro Hüttl Dias

Um Homem Em Seu Fim

A Bíblia trás um livro interessante que é o de Jó.
Jó perdeu todos os seus negócios - falência completa dos seus empreendimentos.
Jó não tinha apoio de sua mulher - nenhum.
Jó tinha sepultado seus filhos.
Jó perdeu amigos. Os que restaram foram para acusá-lo.
Jó não tinha nem mais saúde.
Mas, em tudo isso ele não pecou ou blasfemou contra Deus. Ele não perdeu a esperança de que Deus era soberano sobre tudo.
Ele chorou, reclamou - e até desejou nem ter vindo a esse mundo, tamanho eram os seus problemas.
Mas ele não perdeu o respeito a Deus, nem a integridade pessoal. Ele não deixou de desonrar a Deus apenas com suas palavras, mas também com suas ações permaneceu em fidelidade.
Ele ficou abatido, veio a tristeza, ele perdeu o sentido da vida - totalmente desorientado do que fazer.
Um homem no fundo do poço, sem nenhuma das seguranças que o dinheiro, a posição e prestígio (que ele tinha), a estrutura matrimonial e familiar e os relacionamentos podem oferecer.
Um homem no seu fim.
Entret…

NO TEMPO CERTO DE DEUS!

Por Edleia M. Lopes Rodrigues
Lemos a Bíblia, admiramos suas tramas perfeitas e nos maravilhamos com a presença inconfundível do DEUS EU SOU agindo sempre de maneira extraordinária. Sua pontualidade inequívoca causa-nos perplexidade.
Ele abriu o mar na hora exata, quando o povo de Israel já enxergava o inimigo com dimensões gigantescas.
A pedra que atingiu Golias o abateu no momento exato em que partia furioso em direção ao pequeno pastor de ovelhas. E se Davi errasse o alvo? Haveria tempo para um segundo arremesso?
O fogo desceu dos céus de forma pontual, na hora exata em que o profeta Elias o invocava. Mais tarde, o profeta suplicou por chuva e, no momento certo, Deus abriu as comportas do céu.
No tempo de Deus o profeta Eliseu chegou à casa da viúva e lhe multiplicou o azeite, na hora em que ela se via afligida por uma angustiante necessidade.
Somente na sétima vez que mergulhou no Jordão foi que Naamã se viu livre e limpo do seu mal.
As muralhas de Jericó só vieram abaixo no sétim…

Espere o cumprimento da Palavra

1 SAMUEL 13
8 Ele esperou sete dias, o prazo estabelecido por Samuel; mas este não chegou a Gilgal, e os soldados de Saul começaram a se dispersar. 9 E ele ordenou: “Tragam-me o holocausto e os sacrifícios de comunhão”. Saul então ofereceu o holocausto;  10 quan­do terminou de oferecê-lo, Samuel chegou, e Saul foi saudá-lo. 11 Perguntou-lhe Samuel: “O que você fez?” Saul respondeu: “Quando vi que os soldados estavam se dispersando e que não tinhas chegado no prazo estabelecido, e que os filisteus estavam reunidos em Micmás, 12 pensei: Agora, os filisteus me atacarão em Gilgal, e eu não busquei o Senhor. Por isso senti-me obrigado a oferecer o holocausto.

Muitas vezes dizemos que nos sentimos obrigados, pelas circunstâncias que nos cercam, a tomarmos certas decisões. Entretanto, a verdade é que em alguns casos, isso não está em sincronia com os objetivos de Deus, e revela a nós mesmos o nosso coração, ansioso, e que precisa ser tratado. Coração que revela que ainda não está confiando 10…