Pular para o conteúdo principal

Conversão de União Civil Homossexual em Casamento Civil no Brasil


O Brasil acordou com uma ressaca hoje pela manhã: a determinação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), ontem, pela conversão da união estável gay (decidida pelo STF em maio de 2011) em casamento. Já era manobra prevista.

Muitos juristas entendem essa ação como ato inconstitucional, porque a Constituição, Carta Magna da nação, reconhece casamento apenas entre um homem e uma mulher. E, qualquer mudança neste sentido teria que passar pelo Legislativo. O Judiciário, neste caso, está agindo como uma monarquia, onde o rei fala e está impetrada sua vontade soberana; o que não é o caso do Brasil, uma democracia, com tripartição de poderes. Cabe recurso dessa decisão tomada ontem.

Vemos no Brasil o debate do "casamento gay" acontecendo de maneira bem polêmica, posto que foi único país até o momento onde tal "casamento" teve que entrar pela janela (a forçação de barra ontem do CNJ), e não pela porta da frente (Legislativo e depois seguindo os trâmites legais previstos na CF). Isso apenas demonstra o quando a nação de fato não quer essa prática. Não apenas evangélicos, muitos cidadãos entendem que esse não é um modelo sadio para um país, para o futuro de seus filho e para a construção de uma pátria, que tem a família (homem, mulher e sua prole) como base. 

Pesquisas reiteram essa colocação, o Brasil está longe de ser homofóbico (que agride e mata gays), muitos famílias têm gays em sua composição e são tratados normalmente (a minha família é um caso, e os gays dela podem testemunhar disso).

A militância têm se esforçado na mídia para dizer que "é tudo normal", mas as pessoas não querem que isso desça goela abaixo, inúmeras querem pensar o modelo normal, natural, de família.

O Brasil na sua maioria não quer esse modelo como construção da nação. Está passando pelo Judiciário como uma entrada pela janela, pois sabe-se que pelas vias normais isso não seria aceito pela maioria dos brasileiros. Pelo menos não até a mídia confundir a mente de muitos.

Para os homossexuais que assim decidirem pelo contrato de casamento civil, a Palavra de Deus constantemente foi pregada, alertando sobre a contrariedade da prática frente à vontade de Deus, sendo Romanos 1 foi o mais destacado alerta. No entanto, nesta mesma passagem, a Bíblia adverte que os que praticam tais atos receberão condenação justas merecidas por eles mesmos, está bem claro, mas a opção e consequências serão suas.

Romanos 10.18 diz: "...Por toda a terra se fez ouvir as Suas Palavras, até os confins do mundo". No Brasil a Palavra de Deus foi ouvida, sobretudo no assunto em comento, isto se deu largamente nos veículos de comunicação de massa. 

No entanto, independente da matéria de fé, temos a violação da Constituição. Submeta o caso hoje a um plebiscito, por exemplo... não passa!

Espero que muitos gays possam, como qualquer pessoa que hoje é cristã, arrependerem-se e crerem em Jesus, para serem salvos. Como eu e milhares de outras pessoa já fizemos, cada um na sua necessidade, mesmo não sendo a homossexualidade, mas deixando aquilo que vivia e era contrário à Palavra de Deus.

Quando STF reconheceu a união civil homossexual, lembro-me que estava no carro voltando para casa e de ouvir a notícia pelo rádio. No dia seguinte fiz uma postagem aqui no blog a respeito do assunto. Nela, desde então - e sempre -, dirijo-me aos gays com amor cristão. Eu escrevi: 
Se você está me lendo e é homossexual saiba que a verdadeira Igreja de Cristo não odeia você. Nossa mensagem é de inclusão, para você fazer exatamente como todos da Igreja fizeram: arrependa-se e converta seus caminhos para a Palavra do Senhor, porque o fim está próximo. [...] Não é a Igreja que determina isso, ela apenas comunica, a Bíblia estava escrita antes de todos os cristãos de hoje nascerem, e ela revela a Palavra de Deus que já existia antes da Bíblia cumprir seu papel.
O link para a referida postagem, feita em 15/05/2011, exatos dois anos depois atrás(!), é o seguinte: http://www.leandrohdias.com/2011/05/uniao-civil-homossexual.html

Vou encerrar com as mesmas palavras que disse há dois anos, pois continua sendo a mesma esperança (embora saibamos que não serão todos, mas esperamos que para o máximo possível):

Lembrem-se: nós amamos vocês e torcemos para que vocês, assim como nós, arrependam-se e convertam-se a Palavra do Senhor. Você já tem este conhecimento da Palavra, busque de Deus esclarecimento, e não a confusão e distorção que o homem faz sobre a Bíblia no campo das idéias.

Leandro Hüttl Dias


Atualização

Conforme eu disse acima, desde a primeira postagem até essa presente foram exatos dois anos de intervalo. Neste meio tempo fiz várias postagens sobre o tema, alertas e etc. Até deixe a seguinte mensagem logo abaixo do topo do blog:

"Nesse momento que estamos vivendo na nação e na Igreja evangélica brasileira, por não sermos míopes, faz-se necessário a persistência de alguns temas. Por isso às vezes você verá essa posição neste blog; sem perder o foco, pelo contrário, é justamente por estarmos atentos às necessidades da vida diária".

Foram dois anos trabalhando prioritariamente o assunto. E, se necessário for farei mais posicionamentos, sobretudo acerca da liberdade de expressão. Algumas postagens foram parar em outros sites e a maior delas em visualização foi a que dirigi-me pessoalmente aos gays, numa palavra de alerta e amor, pois no final são eles os mais expostos em tudo isso: http://www.leandrohdias.com/2013/04/gostaria-que-todos-os-gays-lessem-isso.html.

Tomei alguns "unfollow" no Twitter, Facebook e na Newsletter em função disso, mas foram poucas pessoas. Esse é o preço de quando falamos a verdade. Jesus teve muitos "unfollow" (João 6.60-69) e seguiu firme, perguntando quem mais o deixaria. Os que de fato tinham o coração aberto para as Escrituras e não para os próprios desejos, permaneceram. Assim deve ser a postura dos ministros da Palavra de Deus.

Espero que o trabalho tenha alcançado aqueles para os quais ele foi direcionado, com amor aos homossexuais; e com forte resistência cívica à militância gay que apenas quer ganhar dinheiro e posição com a "cau$a", em cima dos gays.

Comentários

  1. Olá !!! Vim conhecer seu blog, gostei muito e estou seguindo.

    Tenho um grupo de divulgação de blogs chamado ENTRE BLOGS, será muito bom ter seu blog no grupo, se quiser participar só é preciso acessar e se inscrever.

    Graça e Paz

    Cris
    Blog Crescimento Cristão

    OUTRO BLOG:
    Crescimento Cristão-Maturidade


    Entre Blogs Grupo de Divulgação

    Fan Page Cristãos em Construção

    ResponderExcluir
  2. Uma reação lúcida sobre esse tema, manifestada no site da Universidade Federal do Ceará (UFC) - Faculdade de Direito, de um professor de hermenêutica jurídica:
    -------
    Conselho Nacional de Justiça (CNJ), "Casamento" homossexual e o fim da democracia

    Depois de Hitler ter resolvido o problema da inflação e do desemprego na Alemanha, ganhou uma adesão entusiástica do povo alemão. Isso permitiu que ele, sentindo-se divino, tomasse medidas cada vez mais autoritárias, desrespeitando os limites do sistema democrático e parlamentar. Getúlio Vargas fez o mesmo após se tornar o campeão dos direitos trabalhistas. Valendo-se de sua popularidade, implantou o Estado Novo. Os militares em 64 foram vistos como heróis por intervirem para resolver a crise institucional por que passava o Brasil. Depois da revolução, porém, não cumpriram a promessa de redemocratizar o país.

    Agora, enfrentamos uma situação parecida. O STF (Joaquim Barbosa em particular) ganhou a fama de "justiceiro" ao condenar os implicados no mensalão, o que todos aplaudimos. No entanto, a continuidade disso é um golpe de Estado em andamento, pois o CNJ (presidido por Joaquim Barbosa), contrariamente à Constituição, determinou que os cartórios celebrassem casamento homossexual. Como, entretanto, um orgão de fiscalização pode legislar? Onde estão as noções de vontade geral, soberania parlamentar e legitimidade democrática?

    O brasileiro perdeu a familiaridade com a educação democrática, assim como a faculdade de indignar-se contra o autoritarismo. Antes, nós protestávamos contra a existência do "decreto-lei" durante o regime militar, mas, agora, temos medidas provisórias em maior quantidade. Do ponto de vista principiológico, a ousadia do STF e do CNJ representa uma ameaça mais ostensiva à democracia do que certos atos camuflados do governo militar.

    Não adianta dizer que o STF e o CNJ estão "legislando" por causa da omissão do Congresso Nacional. A omissão do Congresso é uma manifestação de vontade, no caso, da vontade de manter a legislação vigente, que não contempla o casamento homossexual. A omissão do Congresso é o reflexo da vontade popular, que não deseja mudar o conceito de família.

    Os cartórios devem se manifestar contra tal decisão, devem recusar cumpri-la. As igrejas e os cidadãos devem protestar e resistir. Não chamo isso de "desobediência civil", pois o ato não é contra a lei e a Constituição, mas, sim, a favor da lei, da Constituição e da democracia. Chamo isso de resistência ao autoritarismo e ao golpe de Estado.

    Algumas mães querem o direito de matar os filhos no ventre, onde deveriam protegê-los, e o STF (com o CNJ) quer o direito de sacrificar a Constituição de que deveria ser guardião!

    Foi em um mês das mães (maio) que o STF equiparou a união homossexual à união estável. Novamente, em um mês das mães (maio), o CNJ determina a celebração do casamento homossexual. Talvez, o próximo passo seja acabar com o dia das mães, pois esse conceito ("mãe") logo estará ultrapassado. Essa "coincidência" é para que cada um caia em si e veja que a família (maternidade, paternidade, etc) está sendo destruída.

    Deus salve a família!

    Dr. Glauco Barreira Magalhães Filho
    Professor de Hermenêutica Jurídica da UFC

    Fonte: http://www.direito.ufc.br/index.php?option=com_content&task=view&id=288&Itemid=1

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, comente :) !

Obs.: Caso você tenha dificuldade em publicar seu comentário, verifique o campo Comentar como e selecione Anônimo. Depois, faça seu comentário e assine no final. Pronto! É só aguardar a publicação dele, o que normalmente faço em até 24h.

Postagens mais visitadas deste blog

A experiência de continuar sendo salvo

Convido você a assistir este vídeo onde exponho a mensagem bíblica: "A experiência de continuar sendo salvo".



Gostou do vídeo? Compartilhe no Facebook, no Twitter e nas demais plataformas usando a ferramenta abaixo. Sugira novos temas. Deixe seu comentário abaixo.

FORMATURA CASADOS PARA SEMPRE - Turma IBMA 2012 / 1º Semestre

O Curso "Casados para sempre" tem alcançado pessoas ao redor do mundo todo com uma visão bíblica sobre casamento.
No dia 03 de junho de 2012 tivemos a formatura da primeira turma da Igreja Batista Maysa I, pela graça e bençãos de Deus.

A formatura aconteceu no culto de domingo a noite, e o pastor nos repassou a direção do mesmo, assim fizemos um culto das famílias para Deus. O Senhor nos abençoou com uma Palavra edificante e profunda, confirmando cada vez a suficiência da Bíblia em fornecer toda a direção necessária para a vida humana, sobretudo familiar, por meio da fé em Jesus Cristo, com a ação do Espírito Santo, pela graça de Deus.

Os casais tiveram o momento de testemunhar e cada cônjuge falou aquilo que Deus fez nas suas vidas, o que começou e está continuando. Falaram das aulas que mais gostaram e incentivaram, de livre vontade, os presentes a fazerem o Casados para Sempre. Todos os testemunhos, sem exceção, foram sinceros e demonstraram aquilo que Deus operou por mei…

GRANDES projetos, mas sem DEUS (Julio Oliveira Sanches)

Na vida diária temos muitos detalhes que fazem a diferença para os sucessos que desejamos (no sentido de objetivos serem atingidos). Escrevendo para O Jornal Batista (Ano CXIII, Edição 10), o pastor Julio Oliveira Sanches comentou acerca de grandes projetos que essa era tem feito, mas excluindo Deus, e, portanto, as consequencias colhidas. Preste muita atenção nas suas colocações, pois foi exatamente o que me fez escolher este artigo para a semana. Os destaques são meus. Confira na íntegra abaixo:

Faz parte da natureza corrompida pelo pecado "sonhar” grandes projetos para Deus, mas sem respaldo da aprovação divina. Uma tentativa de comprar os favores divinos e compensar os pecados não confessados e não perdoados. Deus não é consultado, tampouco participa da elaboração e execução das megalomanias humanas. O nome de Deus é citado como fetiche aprovador das maluquices humanas. Cabe a Deus dar a aprovação final com suas bênçãos para que o sucesso alimente os egos desequilibrados dos q…