Pular para o conteúdo principal

Se o seu irmão pecar... repreenda-o!


 "Tomem cuidado. "Se o seu irmão pecar, repreenda-o e, se ele se arrepender, perdoe-lhe".
(Lc 17:3 NVI)
  • "Se o seu irmão pecar, repreenda-o"

Comumente as pessoas dizem, sobre este versículo, que devemos estar sempre dispostos a perdoar, e de fato devemos. Contudo, algumas ainda sentem-se desconfortáveis em repreender o ofensor. Acham que cristãos devem ser mansos e deixar passar as acusações e ofensas (pois toda acusação constitui uma forma de ofensa). Mas no Novo Testamento, o próprio Jesus, não ensina isso. Mas... não devemos dar a outra face? Vamos pensar um pouco sobre isso.

Fazendo uma consulta da Bíblia no original, vemos que a palavra em grego usada para "repreender" significa: "censurar, repreender, admoestar seriamente, advertir". Essas palavras querem dizer: vamos ao dicionário[1]:
a) censurar: 1 Exercer censura sobre: A ditadura censurou a imprensa. 2 Criticar: Não lhe censuro a vaidade. 3 Reprovar: O professor censurou as maneiras desse aluno.
b) repreender: 1 Censurar; corrigir. 2 Chamar a atenção de; advertir.
c) admoestar: 1 Advertir amigável ou bondosamente: “Passaram a vida animando e admoestando, tratando sempre de empurrar para a frente a humanidade.” (FSP) 2 Censurar ou repreender: [nota minha: veremos que "amigável ou bondosamente" é em função do amor, com firmeza, não frouxidão em função do ALVO a ser atingido, trataremos adiante].
d) sério: 1 De maneiras graves. 2 Que não sorri. 3 Que não é leviano ou frívolo: Moça séria. 4 Que é honesto, digno de confiança em todas as suas coisas e negócios: Negociante sério. 5 Que dá motivos para apreensões; grave: Um caso sério.
e) advertir: 1 Admoestar, fazer advertência a. 2 Prevenir, acautelar. Conjuga-se como ferir.

É isso que devemos fazer. O que podemos pegar deste pequeno exercício é que você deve chegar para a pessoa e dizer: "você errou nisso, nisso e nisso. Seu comportamento foi reprovável nesta situação". Bem claro, explícito. A profundidade da repreensão deve ser com a intensidade da ofensa (você deve saber medir isso, com sabedoria, para não errar na dose).

As pessoas não vão gostar. Ninguém gosta de ouvir que está errado(a), mesmo porque muitas vezes elas realmente acham que estão certas. É difícil e pode ter um preço; mas é a direção bíblica; é seguir Jesus (mesmo).

Acho estranho hoje, pois as pessoas adoçam o Evangelho no trato entre si, como na parábola do administrador astuto (Lucas 16:1-14). Ali vemos que ele tratou de fazer uma troca de favores com os credores do seu senhor, nos nosso dias diria assim: "eu te alivio e você alivia o meu lado depois também". Na versão NVI as palavras de Jesus sobre o fato foram traduzidas como "os filhos deste mundo são mais astutos no trato entre si do que os filhos da luz" (v.8). Dão um jeitinho, é um "toma lá dá cá", como na política.

Mas, o Cânon diz que devemos tratar seriamente a questão. Não, não é para humilhar a pessoa, nem é para usar de tirania. A Bíblia fala de seriedade. Não é ser mole, nem tirano, mas ser sério, FIRME, e com amor. O amor não é uma coisa molenga, se fosse, Cristo não teria conseguido ir para a cruz por Deus ter amado tanto o mundo - o trabalho ali foi duro, mais do que já tenha existido e mais do que jamais existirá, só o amor o levou até o final. O amor é uma FORÇA, e é firme, com o ALVO sempre para o bem, do arrependimento e do caminho do perdão para a santidade. Como é que se consegue fazer seriamente, nesses moldes que foram ditos? Com a graça. Não imaginemos que tal postura será feita com nosso próprio braço, mas, como as demais ações do Evangelho, fazemos pela graça. A graça não é só para enfrentar doenças, problemas, para ter santidade, caráter... a graça também é para enfrentar indivíduos errantes com firmeza, seriedade e amor. MESMO PORQUE: "O ALVO É PERDOAR A PESSOA", NÃO ESMAGÁ-LA,  E CORRIGIR AS COISAS. Aqui verifica-se se é por amor ou por ódio toda a advertência: o alvo, o objetivo. Se for para elevar o ofensor e ele corrigir-se contigo, então é por amor. Se é vingar-se, é por ódio e aí tem implicações eternas se a postura não for alterada pela graça também. Em tudo precisamos de Cristo (Ele é nosso Salvador).

Então, há os que precisam ser confrontados e alguns cristãos tem medo de fazer isso. E nessa época são muitos, pois estamos nos dias maus, de pessoas infiéis aos contratos, ao pai e a mãe, sem respeito, mais amigos dos prazeres do que de Deus (essa é sua época?). Os que não confrontam, acham que vão perder a amizade, que terão uma indisposição. Mas advertência não é opção, é direção. Fique firme no seu alvo que é de perdoar e a situação se corrigir. Laurence Porter diz assim: 
O pecado não pode ser negligenciado, nem tratado com leviandade; o transgressor precisa ser advertido, seu pecado precisa ser discutido abertamente, e não pelas costas. O arrependimento deve preceder o perdão. Mas, satisfeitas essas condições, não há limite para o número de vezes em que o perdão deva ser concedido[2]. 
MacDonald, em seu Comentário Bíblico[3], nos diz que na vida cristã não há somente o perigo de ofendermos as pessoas, mas também de que, se formos ofendidos, podemos vir a nutrir rancores (HB 12:15). Isso é sério. Então ele nos diz que primeiro devemos perdoar em nosso coração o ofensor "isso conserva sua alma livre de ressentimento e malícia", orienta MacDonald. Depois devemos fazer a então repreensão à outra parte, assunto deste post, e "se ele se arrepender, então diga que ele é perdoado" (o negrito é do próprio autor). E por fim, se esse confronto particular não der certo, ele indica acertadamente a direção de Mateus 18:15-17.

  • "Se ele se arrepender, perdoe-lhe".

O alvo é ter a situação corrigida e PERDOAR. E Jesus diz que devemos perdoar outras vezes mais, se ocorrer pecado, ainda que seja no mesmo dia (v.4), o que causou uma reação nos discípulos: "os apóstolos disseram ao Senhor: 'aumenta a nossa fé'" (v.5). Halley faz uma menção interessante que devemos notar:
Aqui (v.5), os discípulos exclamaram ao Senhor: "aumenta a nossa fé". Se é para perdoarmos tanto assim, não o poderemos fazer sem mais fé. Depois, para ajudá-los, Jesus fala do poder ilimitado da fé, e, mediante a parábola do servo obediente, demonstra-lhes que a humildade é o alicerce da fé. À medida que buscamos ao Senhor, o nosso desejo de serví-lO e de realizar sua obra nos fornecerá o poder e a fé de que necessitamos para crescer enquanto servimos ao próximo.[4]
Fé para advertir e perdoar.

Para teminar, vale uma ressalva que eu pessoalmente creio. Para que não sejam palavras minhas, ou seja tido como uma emoção particular, cito a Bíblia de Estudo Pentecostal , na sua nota acerca dos versículos 3 e 4 de Lucas 17: "Jesus deseja que o crente queira sempre perdoar [...]. Quanto a perdoar 'sete vezes no dia', Jesus não está justificando a prática do pecado habitual. Nem está Ele dizendo que o crente deve permitir que alguém o maltrate ou abuse dele indefinidamente"[5]. O que eu entendo com isso é que devemos sempre perdoar, mas jamais sem antes confrontar o pecado alheio, vez após vez que ele ocorrer, 7 vezes ao dia, se necessário também, na mesma proporção do perdão. Isso fará com que o ofensor pense antes de voltar a pecar, se cada vez for SERIAMENTE REPREENDIDO, nos moldes tratados.

Espero que tenhamos tido um pouco mais de luz sobre o assunto, podendo refletir; e livremente advertir e perdoar. Que o Senhor Jesus nos traga mais entendimento. Pense nisso.


ANOTAÇÕES:
[1] MICHAELIS. Dicionário escolar língua portuguesa. São Paulo: Melhoramentos, 2008.
[2] BRUCE, F.F (org.). Comentário bíblico NVI: Antigo e Novo Testamento. São Paulo: Vida, 2009, p. 1685.
[3] MACDONALD. William. Comentário bíblico popular: Novo Testamento. São Paulo: Mundo Cristão, 2008, p. 210.
[4] HALLEY, Henry Hampton. Manual bíblico de Halley: Nova Versão Internacional. São Paulo: Vida, 2001, p. 537.
[5] BÍBLIA. Português. Bíblia de estudo pentecostal. Almeida revista e corrigida. Rio de Janeiro: CPAD, 1996,p. 1543

Comentários

  1. Oi Le! Tudo bem?
    Assim seja feita a vontade e obedecidos os ensinamentos do Senhor!
    Saudades! Deus os abencoem diariamente!
    Bjs
    Lu (elefante paraguaio)

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu, estamos bem, graças a Deus, como estão?
    Obrigado pela leitura no blog!
    (KKK ri sobr o elefante paraguaio haha)
    Que possamos cumprir a Palavra do Senhor pela Sua graça!
    Também estamos com saudades!!
    Fiquem na graça e na paz de Deus!!!
    Um grande abraço nosso ao Luiz e a vc!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, comente :) !

Obs.: Caso você tenha dificuldade em publicar seu comentário, verifique o campo Comentar como e selecione Anônimo. Depois, faça seu comentário e assine no final. Pronto! É só aguardar a publicação dele, o que normalmente faço em até 24h.

Postagens mais visitadas deste blog

A experiência de continuar sendo salvo

Convido você a assistir este vídeo onde exponho a mensagem bíblica: "A experiência de continuar sendo salvo".



Gostou do vídeo? Compartilhe no Facebook, no Twitter e nas demais plataformas usando a ferramenta abaixo. Sugira novos temas. Deixe seu comentário abaixo.

FORMATURA CASADOS PARA SEMPRE - Turma IBMA 2012 / 1º Semestre

O Curso "Casados para sempre" tem alcançado pessoas ao redor do mundo todo com uma visão bíblica sobre casamento.
No dia 03 de junho de 2012 tivemos a formatura da primeira turma da Igreja Batista Maysa I, pela graça e bençãos de Deus.

A formatura aconteceu no culto de domingo a noite, e o pastor nos repassou a direção do mesmo, assim fizemos um culto das famílias para Deus. O Senhor nos abençoou com uma Palavra edificante e profunda, confirmando cada vez a suficiência da Bíblia em fornecer toda a direção necessária para a vida humana, sobretudo familiar, por meio da fé em Jesus Cristo, com a ação do Espírito Santo, pela graça de Deus.

Os casais tiveram o momento de testemunhar e cada cônjuge falou aquilo que Deus fez nas suas vidas, o que começou e está continuando. Falaram das aulas que mais gostaram e incentivaram, de livre vontade, os presentes a fazerem o Casados para Sempre. Todos os testemunhos, sem exceção, foram sinceros e demonstraram aquilo que Deus operou por mei…

GRANDES projetos, mas sem DEUS (Julio Oliveira Sanches)

Na vida diária temos muitos detalhes que fazem a diferença para os sucessos que desejamos (no sentido de objetivos serem atingidos). Escrevendo para O Jornal Batista (Ano CXIII, Edição 10), o pastor Julio Oliveira Sanches comentou acerca de grandes projetos que essa era tem feito, mas excluindo Deus, e, portanto, as consequencias colhidas. Preste muita atenção nas suas colocações, pois foi exatamente o que me fez escolher este artigo para a semana. Os destaques são meus. Confira na íntegra abaixo:

Faz parte da natureza corrompida pelo pecado "sonhar” grandes projetos para Deus, mas sem respaldo da aprovação divina. Uma tentativa de comprar os favores divinos e compensar os pecados não confessados e não perdoados. Deus não é consultado, tampouco participa da elaboração e execução das megalomanias humanas. O nome de Deus é citado como fetiche aprovador das maluquices humanas. Cabe a Deus dar a aprovação final com suas bênçãos para que o sucesso alimente os egos desequilibrados dos q…