Pular para o conteúdo principal

A solução dos cultos

Quero aqui registrar uma opinião e visão. Creio firmemente, e já faz um tempo, que trazer o conteúdo do discipulado ou escola dominical para os cultos de domingo, com seriedade, E INSISTÊNCIA, ajudaria a igreja, principalmente em nosso século do conhecimento.

Calvino já fazia isso, chegando a abolir a música (não precisa tanto) do culto e concentrando-o NAS ESCRITURAS. Os pregadores puritanos também... e muitos outros. Porque alguns fizeram assim sem unção (não é o caso dos exemplos citados aqui), as pessoas afastaram o "Modo de Preparo" correto que só estava sendo feito com os "Ingredientes" errados. A maneira de fazer sempre será igual à de Cristo: ensino da Palavra - com seriedade e consagração da parte de quem prega. E da parte de quem ouve: que facilite isso ao pregador como em Atos 6:1-7; neste sentido e ainda mais amplo, conforme cada século.

O tempo dado à pregação é pouco em relação aos avisos, mostragem de fotos, vídeos e afins. Creio que são necessários, não há qualquer mal nestas coisas, mas sem retirar da Palavra o Seu lugar de direito, nos ajuntamentos daqueles que abraçaram uma fé que precisa da Bíblia iluminada pelo Espírito Santo, pela graça de Deus, e em Nome de Jesus, para ser vivida e testemunhada.

E, trazendo estes conteúdos (discipulado e escola dominical) para a culto também auxilia outra questão: nem todos têm tempo hoje de vir ao culto + escola dominical + estudo bíblico durante a semana + mais cursos + grupos + reuniões (infindáveis), mais, mais, mais...O tempo é muito escasso, E O PERÍODO PASSADO NA IGREJA DEVERIA SER BEM APROVEITADO, na minha opinião. Creio que agradaria a muitos - e ao Céu, sobretudo - que o culto fosse reformulado, pensado como uma escola, mais do que... do que... não sei no que é inspirado hoje. Ajudaria a ter mais pessoas na igreja, principalmente aos novos convertidos - pois todos tem pouco tempo, e eles vem de um ritmo diferente e precisam se apegar a fé. Não me diga que "temos que dar mais tempo a Deus", todo o tempo é para Deus, o do trabalho, o da família, o do lazer... Mas não é possível construir uma estrutura de igreja hoje pensando na estrutura da sociedade do passado que usava o tempo de forma diferente. Face as exigências de hoje, até para o trabalho, as coisas são distintas, pois para cumprir esta parte da vida humana e cristã demanda-se bastante tempo de preparo e estudo, e as pessoas vão fazer mesmo cursos e faculdade, e ponto final. Traga o trabalho para sua fé e você já estará fazendo mais coisas para Deus, servindo a Ele, à sociedade e à criação - e que a igreja inclua isso também na sua mentalidade e PRÁTICA ECLESIÁSTICA - e já teremos bastante coisas para fazer - porém com foco, propósitos, proximidade com Deus e resultados! Não falo aqui de escravidão do trabalho, mas da realidade das mudanças de hoje, e as adaptações necessárias - sem perder a fé, naturalmente, mas é uma realidade. O cristianismo cresce junto com isso, engloba todas as coisas em cada século, pois "dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!" (Rm 11.36)

"Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez" (Jo 1.3). [Nem o trabalho].

Retomando, embora o assunto esteja no contexto da postagem, basta ver como Jesus fazia um culto. Veja o culto feito no Sermão do Monte em Mateus 5, 6 e 7. E por falar nele, que tal voltarmos ao ensinos, refrisarmos, reforçarmos (posto que os ensinamentos cristãos precisam de tempo para serem praticados a altura do que Deus espera - até para entendermos que isso se dá pela graça, o que pode demorar (!)) no lugar de todo domingo ter uma "palavra nova". Que tal persistência, no lugar de "lançamentos e novidades" como em lojas? A fé é diferente.

Acredito muito nos trabalhos do tipo grupo de homens, de mulheres, de jovens, adolescentes, terceira idade... DESDE QUE SEJAM FEITOS COM SERIEDADE MESMO, - E COM A PALAVRA, não com egos inflados de lideranças com vaidade e conteúdo ralo de "engana bobo" para "matar tempo" e "encher igreja", "aumentar frequência" - tô fora!.

Desculpe, mas falta seriedade nas igrejas, ao menos em muitas delas. Querem muito sorriso, muita comunhão e show, mas pouca reverência a Cristo - que deveria estar na comunhão, no sorriso... Os cristãos já não tem mais a firmeza das Escrituras, nem se influenciam mutuamente para isso. Vivem uma vidinha morna e evangelizam, ganham algumas almas que são aguadas depois, e que não têm referência e testemunho.

Ainda existem os que se alimentam e dão de comer "tutano" e "bom pasto" do Evangelho, e fazem diferença no mundo. Os demais, tem aquele estilo da tribo gospel urbana levada pela onda do mercado crente, formado por pregadores e comerciantes de produtos evangélicos que visam só o giro do mercado neste século.

Boa parte da solução está no que propus desde a linha inicial.

NOTA: Quando me refiro a conteúdo do "discipulado ou escola dominical", estou falando de material coeso e teologicamente formado, com fervor do Espírito e graça abundante.

Soli Deo gloria.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A experiência de continuar sendo salvo

Convido você a assistir este vídeo onde exponho a mensagem bíblica: "A experiência de continuar sendo salvo".



Gostou do vídeo? Compartilhe no Facebook, no Twitter e nas demais plataformas usando a ferramenta abaixo. Sugira novos temas. Deixe seu comentário abaixo.

FORMATURA CASADOS PARA SEMPRE - Turma IBMA 2012 / 1º Semestre

O Curso "Casados para sempre" tem alcançado pessoas ao redor do mundo todo com uma visão bíblica sobre casamento.
No dia 03 de junho de 2012 tivemos a formatura da primeira turma da Igreja Batista Maysa I, pela graça e bençãos de Deus.

A formatura aconteceu no culto de domingo a noite, e o pastor nos repassou a direção do mesmo, assim fizemos um culto das famílias para Deus. O Senhor nos abençoou com uma Palavra edificante e profunda, confirmando cada vez a suficiência da Bíblia em fornecer toda a direção necessária para a vida humana, sobretudo familiar, por meio da fé em Jesus Cristo, com a ação do Espírito Santo, pela graça de Deus.

Os casais tiveram o momento de testemunhar e cada cônjuge falou aquilo que Deus fez nas suas vidas, o que começou e está continuando. Falaram das aulas que mais gostaram e incentivaram, de livre vontade, os presentes a fazerem o Casados para Sempre. Todos os testemunhos, sem exceção, foram sinceros e demonstraram aquilo que Deus operou por mei…

GRANDES projetos, mas sem DEUS (Julio Oliveira Sanches)

Na vida diária temos muitos detalhes que fazem a diferença para os sucessos que desejamos (no sentido de objetivos serem atingidos). Escrevendo para O Jornal Batista (Ano CXIII, Edição 10), o pastor Julio Oliveira Sanches comentou acerca de grandes projetos que essa era tem feito, mas excluindo Deus, e, portanto, as consequencias colhidas. Preste muita atenção nas suas colocações, pois foi exatamente o que me fez escolher este artigo para a semana. Os destaques são meus. Confira na íntegra abaixo:

Faz parte da natureza corrompida pelo pecado "sonhar” grandes projetos para Deus, mas sem respaldo da aprovação divina. Uma tentativa de comprar os favores divinos e compensar os pecados não confessados e não perdoados. Deus não é consultado, tampouco participa da elaboração e execução das megalomanias humanas. O nome de Deus é citado como fetiche aprovador das maluquices humanas. Cabe a Deus dar a aprovação final com suas bênçãos para que o sucesso alimente os egos desequilibrados dos q…