Pular para o conteúdo principal

Desintoxicando das ansiedades. Até que o único objetivo seja Ele.

Leitura: clique em Mateus 25.1-13

A ordem do dia de hoje é: corra! Faça as coisas como os outros estão fazendo, do modo do mundo e construa logo os seus sonhos.

Mas quando estamos sendo conduzidos pelo Senhor não precisamos desta ansiedade. Você não precisa sair correndo. Mas, ao sinal de Deus você vai, o que você precisa é sempre de azeite. E para se ter azeite faça o que é necessário: saia, compre e guarde.

As 10 virgens ficaram aguardando o sinal do noivo e, quando este momento chegou, as que estavam prontas foram com ele. As virgens mantiveram a lâmpada acesa, de prontidão; apenas mantiveram seu óleo e prontidão. E na hora de executar a tarefa, as que estavam prontas foram bem sucedidas. Você não precisa ficar correndo o tempo todo só para mostrar ao mundo quem você é.

Como se mantém a lâmpada acesa? Através da Palavra, iluminada pelo Espírito, em casa e ouvindo as ministrações que o Senhor dá ao ir à igreja e orando. E como se espera? Estando atento(a), fazendo algumas coisas até virem as maiores, fazer a nossa parte, agir com fidelidade completa a Deus, e com santidade, e elas virão até nós, para então nós agirmos. Ter fé e paciência.

A Bíblia nos mostra um caso de um rei que se precipitou e quis “fazer” mais do que “obedecer”. Por favor, clique e veja em 1 Sm 13.8-13. Suas tarefas sobrepujavam a obediência a Deus, inclusive quando o Senhor mandava aguardar antes de realizar algo. Ele queria mais executar do que obedecer. Mas quanto a nós, digamos ao Senhor: “Senhor, Tu és suficiente para mim, mesmo que eu não tenha nada o que fazer por enquanto”. Veja, esta palavra é para quem sempre quer fazer e produzir, não para quem se acomoda; o todo dela vai lhe dar este entendimento. Para estes, os que “sentem a necessidade de sempre “fazer, fazer”, não se preocupem; Deus sabe dos Seus, quem faz e quem não faz, não precisamos provar nada a Ele, somente nos encher de azeite e estar à disposição quando o sinal for dado. A parábola das 10 virgens também diz que o noivo tardou, “tardando o noivo” (v.5) – isto mostra que mesmo que pareça estar demorando não significa que não acontecerá nada. O certo é exercitar confiança.

Se se concretizar você vive a questão, senão você larga.

Nossa tarefa é ficar com a lamparina, e cuidar de ter sempre azeite.

Quando as pessoas vêem uma lamparina acesa, automaticamente existe uma busca da razão, da utilidade, do porque está acesa, “vai ser usada aonde?”, etc. Mas o Senhor mesmo diz que “ninguém, acendendo uma candeia, a põe em oculto, nem debaixo do alqueire, mas no velador, para que os que entram vejam a luz”. (Lc 11.33). Fiquemos tranqüilos, pois Ele mesmo irá nos colocar no velador (aleluia!). Já pensou em ir para o velador sem azeite? Já pensou ser colocado no lugar ideal para onde foi criado, mas não estar pronto? Você precisa muito mais de fé para o ministério do que teologia. A parte espiritual é o azeite, a fé, a unção... a teologia é a lamparina, a parte do pensamento: “onde fica o azeite, onde sai o fogo, onde segura, como acende, como abastece, etc”. Alguns tinham a teologia - a lamparina - mas esta sem azeite não serve para o propósito criado. Você precisa de ambos, mas muito mais de azeite, de contato vivo com Deus. Não há um descarte de um deles, no caso da teologia, já que precisamos mais do azeite. Você precisa de um estudo teológico para o ministério sim, cada pessoa conforme a direção e o preparo de Deus. Mas precisa de unção, e muitos estão correndo eles mesmos pra ir para um velador, sem azeite suficiente, como os néscios agem. Poderá ser um lugar de vexame, ao invés de lugar de honra que Deus quer nos dar.

Desenvolver confiança no Senhor com experiências e esperas de verdade, é o que precisamos fazer, mais do que correr.. às vezes dói, preocupa, machuca, mas Ele há de nos ajudar.

O homem diz: “corra” e Deus diz: “espera”. A diferença é que as pessoas, no geral, não confiam em Deus (a não ser de fala, mas não de prática). Contudo, Deus confia tanto em Si mesmo que Ele nos diz: “aja da maneira como Eu falei: esteja com azeite e acalme-se”.

As coisas de Deus se obtêm pela graça. Eu sei que é difícil assimilar, pois são coisas boas e de graça, mas vem de Deus: diferente do sistema deste mundo onde tudo você paga, à vista ou a prazo. Isaías 55:1 diz assim: “Ó VÓS, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai, e comei; sim, vinde, comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite”. Nós ouvimos na parábola das virgens que o correto é pegar azeite de quem compra e guardar. É dessa maneira que compramos sem dinheiro e sem preço: ao ler a Palavra iluminada pelo Espírito em casa e indo à casa de Deus ouvindo o que é pregado e ensinado nos cultos, nos estudos, na oração. E ainda através de livros, escritos abençoados. Enchemo-nos de azeite para, ao sinal dEle, agirmos. Estarmos prontos. E quanto às demais coisas que precisamos até a ordem de agir, fiquemos tranquilos, pois se não nos falta azeite, nada vai faltar; sigamos o que Ele tem mostrado, e vejamos como Ele tem suprido. Poderíamos citar a passagem onde Jesus diz para olharmos as aves dos céus que não semeiam nem colhem, mas Deus cuida delas, e todo o seu contexto (Mt 6.25-34), ou a passagem de Marta e Maria (Lc 10.38-42), ou a passagem que Jesus pergunta aos discípulos se faltou alguma coisa na direção da Sua Palavra, e a resposta foi que nada faltou (Lc 22.35), mas creio que você já está crendo e entendendo.

Precisamos muito mais ouvir a Palavra de Deus para nós do que nos preocuparmos. Necessitamos estar atentos mentalmente ao que Deus está fazendo, não somente às ansiedades do nosso coração.

No caminho do Senhor há segurança e paz. Não se pode comparar o caminho de Deus com o caminho de qualquer empreendimento secular: eles são distintos. O Senhor, pela graça, há de suprir todas as nossas necessidades em Cristo Jesus, em Quem estamos satisfeitos tendo muito para fazer ou pouco para fazer. Tudo pela graça, mediante a fé, que não vem de nós, é dom de Deus. Amém.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A experiência de continuar sendo salvo

Convido você a assistir este vídeo onde exponho a mensagem bíblica: "A experiência de continuar sendo salvo".



Gostou do vídeo? Compartilhe no Facebook, no Twitter e nas demais plataformas usando a ferramenta abaixo. Sugira novos temas. Deixe seu comentário abaixo.

FORMATURA CASADOS PARA SEMPRE - Turma IBMA 2012 / 1º Semestre

O Curso "Casados para sempre" tem alcançado pessoas ao redor do mundo todo com uma visão bíblica sobre casamento.
No dia 03 de junho de 2012 tivemos a formatura da primeira turma da Igreja Batista Maysa I, pela graça e bençãos de Deus.

A formatura aconteceu no culto de domingo a noite, e o pastor nos repassou a direção do mesmo, assim fizemos um culto das famílias para Deus. O Senhor nos abençoou com uma Palavra edificante e profunda, confirmando cada vez a suficiência da Bíblia em fornecer toda a direção necessária para a vida humana, sobretudo familiar, por meio da fé em Jesus Cristo, com a ação do Espírito Santo, pela graça de Deus.

Os casais tiveram o momento de testemunhar e cada cônjuge falou aquilo que Deus fez nas suas vidas, o que começou e está continuando. Falaram das aulas que mais gostaram e incentivaram, de livre vontade, os presentes a fazerem o Casados para Sempre. Todos os testemunhos, sem exceção, foram sinceros e demonstraram aquilo que Deus operou por mei…

GRANDES projetos, mas sem DEUS (Julio Oliveira Sanches)

Na vida diária temos muitos detalhes que fazem a diferença para os sucessos que desejamos (no sentido de objetivos serem atingidos). Escrevendo para O Jornal Batista (Ano CXIII, Edição 10), o pastor Julio Oliveira Sanches comentou acerca de grandes projetos que essa era tem feito, mas excluindo Deus, e, portanto, as consequencias colhidas. Preste muita atenção nas suas colocações, pois foi exatamente o que me fez escolher este artigo para a semana. Os destaques são meus. Confira na íntegra abaixo:

Faz parte da natureza corrompida pelo pecado "sonhar” grandes projetos para Deus, mas sem respaldo da aprovação divina. Uma tentativa de comprar os favores divinos e compensar os pecados não confessados e não perdoados. Deus não é consultado, tampouco participa da elaboração e execução das megalomanias humanas. O nome de Deus é citado como fetiche aprovador das maluquices humanas. Cabe a Deus dar a aprovação final com suas bênçãos para que o sucesso alimente os egos desequilibrados dos q…