Pular para o conteúdo principal

PASTOR OU CICERONE DE EVENTOS? – Algumas idéias afins


Aos que tem o dom: fomos chamados para pastorear, dar ao rebanho alimento sólido da Palavra de Deus. Somos aqueles que se dedicam ao estudo da Palavra, a ouvir as pessoas e intervir no que for preciso, pelo Espírito Santo do Senhor. Aqueles que se comprometeram a ter uma vida simples, mas que por isso mesmo sempre foram surpreendidos ao mesmo tempo, pelo Senhor, com coisas boas no seu devido tempo, para si e sua família, mas não buscadas, porém dadas por Deus, cada um de uma forma.
Precisamos ter eventos? Sim, a Igreja propõe eventos, mas não o chamado por Deus para ser pastor. Em que sentido? No de estar à frente das tarefas e esquecer todo o meu chamado e missão para me dedicar só a isso. Pastor é responsável pela Palavra do Senhor, por orar, por estar consagrado para este fim. Claro, numa igreja pequena, começando, é diferente e pastores acumulam funções, mas deve ser só por um tempo estar à frente disso, depois deve passar este bastão, útil e necessário (mas se for feito com coerência, não como distração apenas).
Por que não parar com os eventos? Porque são necessários ao povo de Deus!! DESDE QUE promovam a Palavra para uso na prática, esclareçam dúvidas, proporcionem comunhão ao corpo de Cristo em oportunidade única muitas vezes, e saudável. Desde que haja oração "orem continuamente" 1 TS 5.17; "quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira e sem discussões" 1 TM 2.8. Desde que tais eventos sejam uma bênção: canonicamente, espiritualmente.
Eventos são excelentes para a fé desde que feito com objetivos CLAROS e FIRMES. A Igreja não é um clube para fornecer só entretenimento e descanso, ou isso e a Palavra de Deus em segundo plano. Somos a Igreja de Cristo!!! Precisamos agir como tal!!!
Nossos eventos são para estarmos mais firmes e conscientes da fé que abraçamos (também não é só para nos confraternizarmos com os irmãos), é para "turbinar" a fé (claro: uma fé já alimentada no cotidiano, com a Palavra e oração), para avaliar a prática e fazer uma boa troca (então sim, você tem mais uma forma de comunhão com o irmão, e bem saudável para ambos!!). Depois, você pesca, nada, come junto... a beleza da fé cristã, abaixo do próprio Cristo, é vivermos em união, o que Ele nos proporcionou.
Comunhão com o irmão não é só conversar com ele, falar do que comprou (...), mas é antes falar de Cristo, do Pai, do Espírito, da Palavra e da dificuldade de cumpri-la muitas vezes, de contar as bênçãos e milagres vividos (não discussão de Bíblia e doutrinas), uma TROCA. Estive em um retiro no carnaval (ver post) onde tivemos um irmão que a todo tempo aproximava-se de nós e contava, às vezes com os olhos cheio de lágrimas, os milagres que ele via do Senhor. Precisamos nos alimentar – e continuamente, no cotidiano – do conteúdo da fé cristã entre nós; não adianta apenas sermos bonzinhos uns com os outros, precisamos ser fortes.
O problema que temos hoje é que, como dizem que muita coisa não tem problema, alargamos a vigilância e não vigiamos com o Cânon (a Bíblia).
Aos pastores que gostam de promover eventos e mais eventos, mas não como uma estratégia da igreja para alimentar o rebanho (a estes não me dirijo, conheço pessoas sérias): você não é cicerone de eventos, relembre uma tomada de atitude do Cânon:
1 – Identificação de um problema na Igreja: Atos 6.1. "Naqueles dias, crescendo o número de discípulos, os judeus de fala grega entre eles queixaram-se dos judeus de fala hebraica, porque suas viúvas estavam sendo esquecidas na distribuição diária de alimento".
2 – Avaliação dos líderes junto com os discípulos: Atos 6.2. "Por isso os Doze reuniram todos os discípulos e disseram: 'Não é certo negligenciarmos o ministério da palavra de Deus, a fim de servir às mesas'".
3 – Decisão alinhada com os propósitos de Deus: Atos 6.3-4. "Irmãos, escolham entre vocês sete homens de bom testemunho, cheios do Espírito e de sabedoria. Passaremos a eles essa tarefa e nos dedicaremos à oração e ao ministério da palavra".
4 – Execução: Atos 6.5-6. "Tal proposta agradou a todos. Então escolheram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, além de Filipe, Prócoro, Nicanor, Timom, Pármenas e Nicolau, um convertido ao judaísmo, proveniente de Antioquia.
Apresentaram esses homens aos apóstolos, os quais oraram e lhes impuseram as mãos."
5 – Resultados: Atos 6.7. Propagação da Palavra e da fé. "Assim, a palavra de Deus se espalhava. Crescia rapidamente o número de discípulos em Jerusalém; também um grande número de sacerdotes obedecia à fé".
Há a necessidade das pessoas que cuidarem dos eventos serem "de bom testemunho, cheios do Espírito e de sabedoria"
para que os pastores possam passar a eles essa tarefa, orar e os consagrarem, e então dedicarem-se à oração e ao ministério da Palavra, até para o próprio evento, por exemplo, ser uma bênção.
Sei que alguns pastores acabam dedicando-se a outras coisas que tiram o seu foco, em função da orientação da própria igreja deles... mas deveriam orar e dedicarem-se à Palavra, e muitos querem.
Vamos orar por uma igreja melhor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A experiência de continuar sendo salvo

Convido você a assistir este vídeo onde exponho a mensagem bíblica: "A experiência de continuar sendo salvo".



Gostou do vídeo? Compartilhe no Facebook, no Twitter e nas demais plataformas usando a ferramenta abaixo. Sugira novos temas. Deixe seu comentário abaixo.

FORMATURA CASADOS PARA SEMPRE - Turma IBMA 2012 / 1º Semestre

O Curso "Casados para sempre" tem alcançado pessoas ao redor do mundo todo com uma visão bíblica sobre casamento.
No dia 03 de junho de 2012 tivemos a formatura da primeira turma da Igreja Batista Maysa I, pela graça e bençãos de Deus.

A formatura aconteceu no culto de domingo a noite, e o pastor nos repassou a direção do mesmo, assim fizemos um culto das famílias para Deus. O Senhor nos abençoou com uma Palavra edificante e profunda, confirmando cada vez a suficiência da Bíblia em fornecer toda a direção necessária para a vida humana, sobretudo familiar, por meio da fé em Jesus Cristo, com a ação do Espírito Santo, pela graça de Deus.

Os casais tiveram o momento de testemunhar e cada cônjuge falou aquilo que Deus fez nas suas vidas, o que começou e está continuando. Falaram das aulas que mais gostaram e incentivaram, de livre vontade, os presentes a fazerem o Casados para Sempre. Todos os testemunhos, sem exceção, foram sinceros e demonstraram aquilo que Deus operou por mei…

GRANDES projetos, mas sem DEUS (Julio Oliveira Sanches)

Na vida diária temos muitos detalhes que fazem a diferença para os sucessos que desejamos (no sentido de objetivos serem atingidos). Escrevendo para O Jornal Batista (Ano CXIII, Edição 10), o pastor Julio Oliveira Sanches comentou acerca de grandes projetos que essa era tem feito, mas excluindo Deus, e, portanto, as consequencias colhidas. Preste muita atenção nas suas colocações, pois foi exatamente o que me fez escolher este artigo para a semana. Os destaques são meus. Confira na íntegra abaixo:

Faz parte da natureza corrompida pelo pecado "sonhar” grandes projetos para Deus, mas sem respaldo da aprovação divina. Uma tentativa de comprar os favores divinos e compensar os pecados não confessados e não perdoados. Deus não é consultado, tampouco participa da elaboração e execução das megalomanias humanas. O nome de Deus é citado como fetiche aprovador das maluquices humanas. Cabe a Deus dar a aprovação final com suas bênçãos para que o sucesso alimente os egos desequilibrados dos q…