Pular para o conteúdo principal

Praticando a espiritualidade nos atendimentos


Nossos treinamentos nas empresas abordam sobre como lidar com o cliente durante o atendimento, no entanto não citam como o profissional que está fazendo o atendimento pode lidar consigo mesmo no tempo que passar com o cliente.

As Escrituras colocam o relacionamento humano na mesma importância do relacionamento com o Divino[1]. Mas "amar ao próximo como a ti mesmo" é um mandamento com dois destino: o outro e você. Não é fácil lidar com pessoas; por mais que tentemos colocar isso de uma maneira simpática, o assunto é sério. Diante de um atendimento temos alguns aspectos a lidar: nós mesmos e nosso comportamento, a pessoa atendida e o comportamento dela, além da necessidade humana a ser negociada, nosso trabalho (Gn 3.19).

Sem máscaras, sabemos que temos alguns atendimentos bastante difíceis, sobretudo os que envolvem boas negociações, mas péssimo comportamento da pessoa atendida. Neste momento não precisamos saber apenas como lidar com o "cliente difícil", mas como lidar conosco mesmo durante o processo. Ali está envolvido nosso ganha pão e um relacionamento. Lidamos com pessoas ansiosas, mal educadas, nervosas, indecisas, prontas para atacar, como que trazendo a tona toda a angústia da alma, acumulada de outros relacionamento (familiares, profissionais...). São elementos como: odio, discórdias, ira, inimizades, brigas, acesso de raiva, ambição egoísta. Naturalmente um cristão reconhece esses elementos, que são as obras da carne, em Gálatas 5.19-21 e ninguém gosta de ser alvo deles, conquanto para empreender muitas tarefas isso seja necessário. A vida de Cristo ilustra o pensamento, o fato dEle ter tido ajuda de Deus para lidar com isso é uma esperança.

Com os estudiosos em marketing recebemos necessárias lições, porém todo cristão sabe algo a mais sobre como lidar com esse comportamento difícil, ou as obras da carne, manifestas em todo ser humano. É possível controlá-las apenas pelo Espírito: “se, pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente vivereis” (Rm 8.13b). Normalmente nos dizem: "o profissional deve ouvir todas as objeções até o fim, sorrir, e então fazer assim: "1..., 2..." e relacionam uma série de "passos" que o profissional deve seguir e também dizem que o mesmo deve criar uma 'proteção', uma 'blindagem' e não se deixar ser influenciado por pessoas negativas ou pelo cliente. Mas o homem sofre influência direta dos seus relacionamentos, conforme a filosofia, psicolologia e a BÍBLIA[2]. O que nós, profissionais cristãos, temos e que é desconhecido pelo mundo secular é o fruto do Espírito. E mais: o fato de poder usá-lo para atender os clientes e usar nosso treinamento. A palavra “fruto” colocada no texto bíblico indica resultado de andar com o Espírito Santo, e não “algo à parte” que recebemos dEle. Acontece por orar apenas visando comungar da presença do Divino, recebendo a influência dEle, então diferenciando o lidar com os outros e conosco mesmo, o que nos proporcionará mais sucesso profissional, e maior para Glória para Cristo.


Notas:
[1] “E o segundo [mandamento], semelhante a este é: ‘amarás o teu próximo como a ti mesmo’”. Mateus 22.39
[2] Exemplo de influência: “Não sejas companheiro do homem briguento nem andes com o colérico, para que não aprendas as suas veredas, e tomes um laço para a tua alma.” – Provérbios 22.24-25. Para chegar a ser como ele, o texto naturalmente coloca como alguém que acompanha o outro Contatos não chegam a ser um laço para a alma, mas podem perturbar a mesma que esteja sem a prática da espiritualidade e vários contatos assim somam uma influência contínua.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A experiência de continuar sendo salvo

Convido você a assistir este vídeo onde exponho a mensagem bíblica: "A experiência de continuar sendo salvo".



Gostou do vídeo? Compartilhe no Facebook, no Twitter e nas demais plataformas usando a ferramenta abaixo. Sugira novos temas. Deixe seu comentário abaixo.

FORMATURA CASADOS PARA SEMPRE - Turma IBMA 2012 / 1º Semestre

O Curso "Casados para sempre" tem alcançado pessoas ao redor do mundo todo com uma visão bíblica sobre casamento.
No dia 03 de junho de 2012 tivemos a formatura da primeira turma da Igreja Batista Maysa I, pela graça e bençãos de Deus.

A formatura aconteceu no culto de domingo a noite, e o pastor nos repassou a direção do mesmo, assim fizemos um culto das famílias para Deus. O Senhor nos abençoou com uma Palavra edificante e profunda, confirmando cada vez a suficiência da Bíblia em fornecer toda a direção necessária para a vida humana, sobretudo familiar, por meio da fé em Jesus Cristo, com a ação do Espírito Santo, pela graça de Deus.

Os casais tiveram o momento de testemunhar e cada cônjuge falou aquilo que Deus fez nas suas vidas, o que começou e está continuando. Falaram das aulas que mais gostaram e incentivaram, de livre vontade, os presentes a fazerem o Casados para Sempre. Todos os testemunhos, sem exceção, foram sinceros e demonstraram aquilo que Deus operou por mei…

GRANDES projetos, mas sem DEUS (Julio Oliveira Sanches)

Na vida diária temos muitos detalhes que fazem a diferença para os sucessos que desejamos (no sentido de objetivos serem atingidos). Escrevendo para O Jornal Batista (Ano CXIII, Edição 10), o pastor Julio Oliveira Sanches comentou acerca de grandes projetos que essa era tem feito, mas excluindo Deus, e, portanto, as consequencias colhidas. Preste muita atenção nas suas colocações, pois foi exatamente o que me fez escolher este artigo para a semana. Os destaques são meus. Confira na íntegra abaixo:

Faz parte da natureza corrompida pelo pecado "sonhar” grandes projetos para Deus, mas sem respaldo da aprovação divina. Uma tentativa de comprar os favores divinos e compensar os pecados não confessados e não perdoados. Deus não é consultado, tampouco participa da elaboração e execução das megalomanias humanas. O nome de Deus é citado como fetiche aprovador das maluquices humanas. Cabe a Deus dar a aprovação final com suas bênçãos para que o sucesso alimente os egos desequilibrados dos q…